Publicado em por Ana Luiza Freire

Massimo Bottura dá ao NY Times sua receita de beleza

Massimo Bottura | Foto by Mat Smith

 

O chef e filantropo possui uma coleção de arte considerável, mas vê a verdadeira beleza na mesa de jantar

Massimo Bottura não é apenas um chef mundialmente famoso e um filantropo de renome internacional; ele e sua esposa, Lara Gilmore, são excelentes colecionadores de arte.

Nos últimos anos, os clientes do restaurante de Massimo, o Osteria Francescana, em Modena, norte da Itália, puderam apreciar obras de Damien Hirst, Gavin Turk e Maurizio Cattelan; enquanto isso, os pobres de Paris observam peças do artista francês JR enquanto comem refeições afetuosas e saudáveis, todas preparadas por chefs talentosos usando sobras de ingredientes indesejados no Refettorio Paris de Bottura, o posto avançado francês da cozinha de alta cozinha do chef.

No entanto, quando o New York Times pediu a Bottura – ao lado de outros líderes importantes, como a ganhadora do Nobel Elizabeth Blackburn e a estilista Zac Posen – para explicar por que a beleza é tão indispensável em nossas vidas cotidianas, o chef não pensou em sua própria coleção, nem em alguma exibição de um dos muitos museus públicos de seu país de origem. Em vez disso, ele escolheu um exemplo que todos poderíamos encontrar, em qualquer dia da semana.

 

O corredor de Osteria Francescana com as esculturas Tourist (1997) de Maurizio Cattelan e Trash (2007) de Gavin Turk

“Quando minha equipe e eu lançamos o Refettorio Ambrosiano, nossa primeira cozinha comunitária em Milão, em 2015, a beleza foi o princípio norteador de nossa missão de nutrir os sem-teto”, escreve ele. “Colaboramos com artistas, arquitetos, designers e chefs para construir um ambiente acolhedor, onde gestos de hospitalidade e dignidade seriam oferecidos a todos. O que eu testemunhei ao trazer diferentes pessoas e perspectivas ao redor da mesa foi a profunda capacidade da beleza de construir comunidade.

“Em um espaço acolhedor, nossos convidados tiveram a liberdade de imaginar quem eles gostariam de ser e começar a mudar suas vidas. Nesse espaço, a beleza exercia o poder de transformação”, conclui. “A beleza é a espontaneidade de dois estranhos partindo o pão.”

Para saber mais sobre o processo por trás desse belo empreendimento, peça uma cópia da edição em português do Bread is Gold aqui. O livro conta a história dos Refettorios de Bottura e também é a primeira publicação a dar uma olhada holística no assunto de desperdício de alimentos, apresentando receitas para refeições de três pratos de 45 dos principais chefs do mundo, incluindo Daniel Humm, Mario Batali, René Redzepi, Alain Ducasse, Joan Roca, Enrique Olvera, Ferran e Albert Adrià e Virgilio Martínez.


Carrinho de compras
Ernest Books